ATIVIDADE / SIMULADO DE PORTUGUÊS - GÊNEROS: LETRAS DE CORDEL E CANÇÃO - 6º / 7º ANO

 Leia e resolva as próximas 3 (três) questões:

Letras

Se um dia nós se gostasse
Se um dia nós se querem-se
Se nos dois se empareasse
Se juntin nós dois vivesse
Se juntin nós dois morasse
Se juntin nós dois durmisse
Se juntin nós dois morresse
Se pro céu nos assubisse

Mas porém acontecesse de São Pedro não abrisse
A porta do céu e fosse te dizer qualquer tolisse
E se eu me arriminasse
E tu com eu insistisse pra que eu me aresolvesse
E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Talvez que nos dois ficasse
Talvez que nos dois caísse
E o céu furado arriasse e as virgem todas fugisse

1. O tema central da canção é
a)  o amor .
b)  a inveja.
c)  o medo.
d)  a felicidade.

2. A expressão “empareasse” possui sentido de
a)  gostar.
b)  abraçar.
c)  casar.
d)  respeitar.

3. O texto foi escrito fazendo uso de linguagem
a) culta.
b) regional.
c) em jargão.
d) coloquial.

A imagem abaixo ilustra canção “Ai se sesse”.  


4. O nome dado a essa técnica de gravura é
a) Litografia.
b) Serigrafia.
c) Xilogravura.
d) Cacografia.

Leia um trecho de um cordel e depois resolva a questão:

“Eita linguagem porreta!
Agora vou te falá
Preste atenção, camarada
Do que agora eu vou narrá”

5. Uma das características comuns aos cordéis é a presença de diálogo com o interlocutor/ouvinte/leitor. Em quais versos acima podemos confirmar esta informação?
a) Nos versos 1 e 2.
b) Nos versos 2 e 3.
c) Nos versos 3 e 4.
d) No verso 4.

Leia o texto abaixo e resolva a questão:

Vaca Estrela e Boi Fubá
Patativa do Assaré

Seu doutor me dê licença pra minha história contar
Hoje eu tô na terra estranha, é bem triste o meu penar
Mas já fui muito feliz vivendo no meu lugar
Eu tinha cavalo bom e gostava de campear
E todo dia aboiava na porteira do curral

Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela
Ô ô ô ô Boi Fubá

Eu sou filho do Nordeste, não nego meu naturá
Mas uma seca medonha me tangeu de lá pra cá
Lá eu tinha o meu gadinho, num é bom nem imaginar
Minha linda Vaca Estrela e o meu belo Boi Fubá
Quando era de tardezinha eu começava a aboiar
[...]

6. Pode-se dizer que essa diversidade na linguagem  é chamada de
a) linguagem formal urbana.
b) linguagem informal urbana.
c) variação linguística regional.
d) Variação linguística temporal.

Leia um trecho de um cordel e depois resolva as questões 7 e 8:


A linguagem nordestina
É bastante especiá,
É uma língua matuta,
Gostosa de se falá.
Leia com toda atenção,
O cordel que tem nas mão,
Pra pude apreciá.

A linguagem nordestina
É bonita, sem iguá.
Eita linguagem porreta!
Agora vou te falá.
Preste atenção, camarada
Pra você da gargalhada,
Do que agora vou narrá.

Valentão é arrochado.
Tapear é enganar.
Arretado é bom, legal.
Ir embora é arribar.
Bisnaga é pão comprido.
Aprumado é bem vestido,
Bonito pra se danar.

[...]

7. Após a leitura, podemos encontrar, na poesia, algumas das principais características da literatura de cordel, que são
a) linguagem regional, poesia popular e rimas.
b) linguagem formal, texto em prosa e versos. 
c) linguagem informal, em versos formando quadra.
d) linguagem regional, texto em prosa, muitas rimas

8. A temática principal do cordel apresentado é 
a) a história de um povo.
b) a linguagem nordestina.
c) as piadas nordestinas.
d) as crenças populares.

Observe a imagem e depois responda a questão:


9. Os cordelistas podem ser chamados de grandes repórteres do sertão, pois
a) vendem os folhetos nas feiras, nas cidades e nos povoados.
b) escrevem os versos à mão contando as histórias do passado.
c) escolhem e usam palavras bonitas e as buscam nos dicionários.
d) divulgam vários fatos do cotidiano e acontecimentos históricos .

Leia o fragmento do cordel abaixo e responda a questão:

Tarvés que nois dois ficasse
Tarvés que nois dois caisse
E o céu furado arriasse e as virgi toda fugisse “

10. O que as palavras destacadas representam?
a) A linguagem formal e urbana, exemplos de variantes regionais.
b) A pronúncia do homem sertanejo, exemplos de variantes regionais.
c) A língua escrita, de acordo com as normas ortográficas do português.
d) A linguagem não verbal contida nos cordéis, exemplos de imagens.

Leia o fragmento da música abaixo e resolva a questão:

“A seca fez eu desertar da minha terra 
Mas felizmente Deus agora se alembrou 
De mandar chuva Pr'esse sertão sofredor 
Sertão das muié séria 
Dos homes trabaiador”

A volta da asa branca,
Luiz Gonzaga e Zé Dantas

11. Com que sentido a palavra sofredor foi utilizada nesta estrofe?
a) De medo e angústia pela falta de sustento.
b) De lamentação do sertanejo.
c) De crueldade da seca.
d) De tristeza pelo excesso de trabalho no sertão.

Leia um trecho de uma letra de canção nordestina e resolva a questão:

“Que braseiro, que fornaia
Nem um pé de "prantação"
Por farta d'água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão...”

12. Os versos retratam
a) o calor intenso e a seca no sertão nordestino.
b) as queimadas que destroem toda a plantação.
c) as fogueiras acesas que enfeitam as festas de São João.
d) a falta da caatinga, a vegetação predominante da região.


GABARITO
1A / 2C / 3D / 4C / 5B / 6C / 7A / 8B / 9D / 10B / 11C / 12A

POSTE UM COMENTÁRIO

Tudo Sala de Aula agradece sua interação conosco!