ATIVIDADE / SIMULADO DE PORTUGUÊS - GÊNERO: REPORTAGEM (INTERPRETAÇÃO E COMPREENSÃO) 8º / 9º ANO

Leia o texto para responder às próximas 10 (dez) questões:

PROFESSORES SE ADAPTAM ÀS DINÂMICAS DO ENSINO REMOTO PARA ENSINAR PROTAGONISMO E AUTONOMIA AOS ESTUDANTES


www.opovo.com.br (Adaptado por Tudo sala de Aula)

        A interrupção das atividades presenciais foi um processo difícil para toda a comunidade de educadores. Lidar com um cenário de ensino virtualizado, com novas tecnologias e pouca formação na metodologia de ensino a distância foi um desafio. Principalmente para os alunos, que não estavam familiarizados com o novo formato; e para os pais e responsáveis, que, mais do que antes, precisaram adotar uma postura ativa de colaboração com a escola e acompanhamento da educação dos filhos.
       Apesar disso, o principal cenário observado pelos educadores é a falta de capacitação para lidar com o ensino virtual; e a estrutura e recursos precários para atender a demanda dos estudantes que, nem sempre, possuem as tecnologias necessária para participar de forma efetiva do ensino remoto. Somado a isso, há ainda as consequências para a saúde mental dos profissionais, provocadas pela nova dinâmica de atuação.

Adaptação a novas tecnologias
         Professora de Língua Portuguesa, Neila Moraes conta que o primeiro momento após a suspensão das atividades na escola foi o mais difícil. Como tudo era novo, alguns professores tiveram problemas em aprender a usar os recursos necessários para o ensino virtual. Essa mudança também foi sentida pelos pais e alunos, que tiveram um longo processo para se adaptar às estratégias das escolas.
        Na Escola de Educação Básica (EEB) Professora Alba Herculano Araújo, onde Neila leciona, a administração decidiu utilizar os meios disponíveis na internet para manter as atividades de ensino. Com a ferramenta Classroom, do Google, eles podem orientar e acompanhar as atividades dos alunos. Para os estudantes que não tem acesso à rede, a alternativa foi buscar outras formas de motivar e garantir a permanência desses estudantes na escola, como o acompanhamento por telefone e a entrega das atividades publicadas em cadernos, para os estudantes.
         Algumas vezes, relata Neila, a gestão da escola precisou ir até a casa dos alunos para conversar e entender porque ele não estava participando das atividades. "A gente luta muito com a questão da inadimplência dos alunos e o abandono da família. Como a gente já pode receber um número de pessoas na escola, estamos convocando os pais, porque o telefone não está mais resolvendo. Tem aluno que já pode ser considerado evadido, porque não entrega nada, e a atividade é a presença", comenta a professora, que dá aula para turmas do 7º e 9º ano, no distrito de Taíba, em São Gonçalo do Amarante.
          Segundo Neila, a instituição já havia inserido tecnologias, como grupos de WhatsApp, na relação com a família dos discentes. Com a suspensão das aulas, foi necessário aprimorar apenas a comunicação e a organização, para que os conteúdos fossem repassados com clareza e para que as atividades fossem cumpridas adequadamente. Embora pareça simples, esse processo de adaptação foi árduo para os educadores, que tiveram sobrecarga de trabalho e sentiram a perda da privacidade.
         “A gente trabalha muito mais do que antes, daríamos tudo para estar em sala de aula. O número do whatsapp não é mais pessoal, a gente trabalha até 22h da noite; tenho um colega aqui que disse que quando o celular apitava, dava vontade de chorar”, relata Neila. “Eu trabalho mais do que antes, mas, de tudo, o que me entristece é isso: os alunos que não querem participar. É por isso que eu corro atrás", comenta a professora.

Efeitos sobre a saúde mental
        Uma sugestão da psicóloga, para inserir atividades de lazer a rotina, é a organização para que as tarefas laborais sejam cumpridas até determinado horário, ou para ter um dia livre de descanso. “Tudo é uma questão de a gente conseguir se organizar. Porque a gente precisa acrescentar na nossa rotina atividades prazerosas, não só trabalho. Então, ver um filme que você gosta, ler um livro, assistir uma série…”, exemplifica. Conforme Diva, a organização e a atenção para o tempo de lazer, são formas de evitar que a exaustão e o estresse cheguem a níveis extremos, que prejudicam mentalmente e emocionalmente a vida dos professores.

1. (SAEB 12) A finalidade do texto é 
a) descrever um acontecimento recorrente em salas de aulas.
b) trazer uma informação de interesse da população.
c) apresentar um ponto de vista sobre um determinado tema.
d) narrar fatos do cotidiano escolar.

2. (SAEB D9) O assunto principal da notícia publicada no jornal o Povo é
a) a interrupção das atividades presenciais nas escolas.
b) a falta de capacitação dos professores frente às tecnologias.
c) os desafios de adaptação dos professores para o ensino remoto.
d) as consequências da saúde mental dos professores diante da pandemia.

3. (SAEB D1) Segundo o texto,
a) os professores não tiveram dificuldades para aplicar o ensino a distância.
b) os alunos não conseguiram se adaptar ao ensino remoto.
c) os pais necessitaram adotar uma postura de colaboração com a escola.
d) não houve prejuízos à saúde mental dos professores.

4. (SAEB D1) Segundo a professora de Língua Portuguesa, Neila Morais, entrevistada na reportagem,
a) todos os professores tiveram problemas em usar os recursos digitais.
b) o impacto maior da pandemia na educação foi logo no início.
c) as mudanças para ensino remoto foram sentidas apenas por alunos e professores.
d) as adaptações das famílias para o ensino remoto aconteceram de forma acelerada.

5. (SAEB D15) No trecho: “Apesar disso, o principal cenário observado...”, o termo grifado veicula uma ideia de 
a) concessão.
b) condição.
c) comparação.
d) consequência.




6.  (SAEB D11) Segunda a professora Neila, a gestão da escola necessitou ir até a casa dos alunos porque
a) a família abandonou a escola, e consequentemente os alunos.
b) os alunos estavam usando o celular para outras finalidades.
c) precisou identificar o motivo de alguns alunos não participarem da atividade.
d) o acompanhamento pelo telefone e o Google Sala de Aula tornaram-se ineficientes.

7. (SAEB D14) Há uma opinião em:
a) “... há ainda as consequências para a saúde mental dos profissionais, provocadas pela nova dinâmica de atuação.”
b) “... foi necessário aprimorar apenas a comunicação e a organização, para que os conteúdos fossem repassados...”
c) “A gente luta muito com a questão da inadimplência dos alunos e o abandono da família.”
d) “... a administração decidiu utilizar os meios disponíveis na internet para manter as atividades de ensino.”

8. (SAEB D17) No trecho: “Eu trabalho mais do que antes, mas, de tudo, o que me entristece é isso: os alunos que não querem participar. É por isso que eu corro atrás", comenta a professora. O uso das aspas se deve ao fato 
a) de exprimir ironia ou destacar uma palavra ou expressão usada fora do contexto habitual.
b) da fala da entrevistada ser colocada sem modificações pelo redator no texto. 
c) de existir palavras ou expressões populares e gírias. 
d) de marcar a fala do narrador da reportagem. 

9. (SAEB D3) No trecho: “Com a suspensão das aulas...”, a palavra em destaque pode ser substituída sem alteração de sentido por
a) continuidade.
b) cessação.
c) ininterrupção.
d) assiduidade.

10. (SAEB D13) Há um exemplo de uma linguagem figurada em
a) “Tudo é uma questão de a gente conseguir se organizar.”
b) “O número do whatsapp não é mais pessoal, a gente trabalha até 22h da noite.”
c) “... os alunos que não querem participar. É por isso que eu corro atrás.”
d) “... o principal cenário observado pelos educadores é a falta de capacitação para lidar com o ensino virtual.”


GABARITO
1B / 2C / 3C / 4B / 5A / 6C / 7C / 8B / 9B / 10C 

POSTE UM COMENTÁRIO

Tudo Sala de Aula agradece sua interação conosco!