ATIVIDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA: FUTSAL (BÁSICO)



História do futsal

O futsal ou futebol de salão é um esporte muito popular no Brasil e em muitos outros países, principalmente sul-americanos. Não é à toa: o esporte tem suas raízes na América do Sul. Devido a suas facilidades (o menor número de jogadores e o tamanho menor do campo, por exemplo), o futsal é considerado o esporte mais praticado no Brasil, embora o futebol de campo continue sendo o mais popular.



O FUTEBOL DE SALÃO tem duas versões sobre o seu surgimento, e, tal como em outras modalidades desportivas, há divergências quanto a sua invenção. Há uma versão que o FUTEBOL DE SALÃO começou a ser jogado por volta de 1940 por frequentadores da Associação Cristã de Moços, em São Paulo, pois havia uma grande dificuldade em encontrar campos de futebol livres para poderem jogar e então começaram a jogar suas ''peladas'' nas quadras de basquete e hóquei.

Entretanto, a versão mais aceita (reconhecida inclusive pela FIFA) narra que o esporte surgiu mais cedo, na década de 30, em outro país sul-americano: no Uruguai. Nesta época o país vivia um intenso sentimento de paixão pelo futebol, fruto da conquista da primeira Copa do Mundo, em 1930. Semelhante ao que aconteceu no caso da Associação Cristã de Moços de São Paulo, as crianças uruguaias não tinham onde praticar o esporte, então, começaram a jogar futebol nas quadras de basquete.

Vendo aquela realidade, o professor de educação física da Associação Cristã de Moços de Montevidéu Juan Carlos Ceriani decidiu elaborar regras para a nova modalidade. Para isso, usou o regulamento de outros esportes, como o handebol e o basquete. Ceriani passou a chamar a nova modalidade de "Indoor-Foot-Ball".

No início, jogava-se com cinco, seis ou sete jogadores em cada equipe, mas logo definiram o número de cinco jogadores para cada equipe. As bolas usadas eram de serragem, crina vegetal, ou de cortiça granulada, mas apresentavam o problema de saltarem muito e frequentemente saiam da quadra de jogo, então tiveram seu tamanho diminuído e seu peso aumentado, por este fato o FUTEBOL DE SALÃO foi chamado o ''ESPORTE DA BOLA PESADA''.

Em 1965, o esporte já havia se difundido por toda América do Sul, fato que resultou na criação da Confederação Sul-Americana de Futebol de Salão, composta por Uruguai, Paraguai, Peru, Argentina e Brasil.

Nas décadas posteriores, observa-se um crescimento vertiginoso da modalidade. O futebol de salão é praticado, divulgado (década de 40), reconhecido e regulamentado (década de 50). Surgem as Federações Nacionais (ainda na década de 50), a Confederação Sul-americana (década de 60), Brasileira e a Federação Internacional - FIFUSA (década de 70). O esporte ganha então o continente e o mundo, internacionalizando-se e despertando o interesse da FIFA em tê-lo sob seu domínio (na década de 80). No final desta última o Brasil (CBFS) filia-se oficialmente à

FIFA (via CBF), que passa a ter uma Comissão responsável pelo futsal.


Ademais, a humanização e agilização das regras do futsal, hoje adotadas, propiciou sua consolidação, com milhares de adeptos em todos os recantos do mundo. Saliente-se, por oportuno, que os rigores e a extensão das temporadas invernosas nos continentes europeu, asiático e oceânico contribuem, grandemente para que o futsal constitua-se na grande opção desportiva dos ginásios e quadras cobertas. Em 1989 a FIFA homologou a supervisão do futsal mediante extinção da FIFUSA e a criação de sua Comissão de Futsal.

A FIFA           é          quem organiza os Campeonatos Mundiais hoje. Por ser o  futsal  largamente praticado  em,  pelo menos,   cem   (100) países, nos cinco (5) continentes, já satisfaz as   exigências   do Comitê  internacional para ser reconhecido como esporte olímpico. Acredita-se que falta muito pouco para que o Futsal seja admitido nas Olimpíadas.

As potencialidades - como lazer e como desporto de rendimento - aliadas ao seu nível técnico de representatividade, sua importância sociocultural, sua difusão interna e externa e aos inúmeros títulos já conquistados pelo Brasil em competições internacionais, impõem um apoio incondicional e prioritário ao futsal, por ser uma modalidade desportiva de raízes essencialmente brasileiras, que atende às preferências individuais e sociais da população brasileira, e, se espraia, indomada e irreversivelmente, por todos os recantos do mundo.

Objetivo do jogo

Futsal é o futebol adaptado para prática em uma quadra esportiva por times de cinco jogadores. As equipes, tal como no futebol, têm como objetivo colocar a bola na meta adversária, definida por 2 postes verticais limitados pela altura por uma trave horizontal.

A Quadra do Jogo


A quadra de jogo será um retângulo com o comprimento de 40 metros e largura de 20 metros.

Fundamentos básicos do futsal


Passe: É o fundamento principal e básico do futsal, é o meio de comunicação entre os jogadores de uma equipe, é o que possibilita o jogo coletivo e a progressão de jogadas.

Chute: O gol é o objetivo principal do jogo de futsal, e para que ele aconteça é preciso que a bola seja direcionada contra a meta adversária. Seus princípios básicos são semelhantes aos do passe, exceto no que se refere a força a ser aplicada.

Condução de bola: Condução de bola é a ação de carregá-la de uma zona a outra da quadra. Na condução de bola o toque deve ser leve e sutil procurando arrastá-la ficando sempre junto aos pés. A condução de bola pode ser feita com o peito do pé, parte interna ou externa e com a sola do pé.
Drible e finta: O drible é uma ação individual do jogador efetuado com a posse da bola, é um recurso que o jogador utiliza com a finalidade de ultrapassar o adversário sem perder a posse de bola. No drible, o objetivo é fazer com que a adversária perca o seu equilíbrio, sem que o driblador perca o seu. Quanto mais baixo estiver o centro de gravidade do corpo, maior será o equilíbrio. A finta é um movimento executado sem a bola a fim de deslocar o adversário e fugir da marcação.

Controle de bola: Constitui-se numa ação motora de grande coordenação corporal onde o jogador demonstra estar em sintonia com a bola. Consegue-se através de uma prática demorada e constante. O controle de bola valoriza o jogador, pois alguns possuem uma habilidade tal que lhes possibilita manejar a bola com tanta sutileza que provocam a nossa admiração.

Cabeceio: O cabeceio é uma importante qualidade técnica no futsal atual, tanto para passar a bola como para defender ou marcar um gol. O cabeceio deve ser executado com a testa, na parte frontal da cabeça, onde o impacto será mais potente. Os olhos devem ser mantidos abertos, e a boca deve permanecer fechada.

Posições e funções dos jogadores na quadra de jogo

Goleiro: Este é o responsável por defender e impedir que a bola ultrapasse a linha de gol. As últimas regras lhe dão a possibilidade de lançar a bola com as mãos diretamente para o outro lado da quadra. Observa-se que o goleiro de futsal deverá possuir também as mesmas qualidades técnicas dos demais jogadores de linha.

Fixo: Sua função básica é defensiva, porém deve saber o momento exato participar de algumas manobras ofensivas, como organizadoras, abrindo espaços para os companheiros e chegando como homem surpresa para o arremate a gol. Este jogador devera também orientar os colegas durante a marcação e ter um bom senso de cobertura.

Alas: São os responsáveis pela construção das jogadas e tem a tarefa de marcar e atacar.

Pivô: Este é o responsável pela distribuição das jogadas e, quando acionado, exerce as ações de finalização e de abrir espaços na área adversária para a penetração de seus companheiros. A sua característica básica é saber jogar de costas para o gol.

Tempo de jogo e número de jogadores

Oficialmente, para as categorias principais e juvenis, uma partida consta de dois tempos de vinte minutos cada um, cronometrados, com um intervalo de dez minutos para descanso. Uma equipe de futsal é composta por 12 jogadores, sendo 5 titulares e 7 reservas.

Número e substituições de atletas

• Uma equipe será composta por cinco jogadores titulares, sendo um o goleiro e tendo até sete reservas.

• Será permitido um número indeterminado de substituições “volantes”, a qualquer tempo do jogo, sem necessidade de paralisação da partida.

• Atletas com ferimentos que estejam sangrando, não poderão permanecer na quadra de jogo. Devem obrigatoriamente deixar a quadra para serem medicados.

• A um dos atletas, de cada equipe será atribuída à função de “capitão” cabendo-lhe: representar sua equipe, da qual é fiador da boa conduta, dirigir-se ao árbitro quando necessário com cortesia e respeito. O capitão da equipe deverá usar uma braçadeira em um dos braços para identificá-lo.


Equipamentos dos atletas

• É vedado ao atleta o uso de qualquer objeto reputado pelo árbitro como perigoso ou nocivo à prática do desporto. O árbitro exigirá a remoção do objeto considerado perigoso, não sendo obedecido, ordenará a expulsão do jogador infrator.

Bola de saída

• No início da partida a escolha de lado ou saída de bola será decidido por meio de sorteio procedido pelo árbitro principal. A equipe vencedora do sorteio escolherá a meia quadra onde irá iniciar jogando e a equipe perdedora terá o direito de iniciar o jogo.

• Dado o sinal pelo árbitro, a partida será iniciada por um dos atletas, que movimentará a bola com os pés em direção ao lado contrário, devendo a mesma, nesse momento, estarem colocada imóvel sobre o centro da quadra, cada equipe deverá estar em seu próprio lado e nenhum atleta da equipe contrária a iniciadora da partida poderá aproximar-se a menos de 3 (três) metros da bola e nenhum atleta de ambas as equipes, poderá invadir a meia quadra do adversário enquanto a bola não for movimentada.

Faltas e incorreções

• Faltas  técnicas: dar pontapé, cusparada, “carrinho”, empurrar, puxar, etc.

• Faltas pessoais: usar expressão verbal ou vocal para enganar adversários, jogar perigosamente, obstruir jogada, permanecer com a bola por mais de quatro segundos dentro da própria área, etc.

• Faltas disciplinares: infligir persistentemente às regras do jogo, dirigir-se aos árbitros ou torcida para discutir ou reclamar, etc.
• As punições de atletas e técnicos serão determinadas pela exibição de cartão amarelo (advertência) e vermelho (expulsão).

• As equipes poderão cometer, em cada período da partida, até cinco faltas acumulativas com direito a formação de barreira de atletas, após estas, passarão a ser cobrado tiro livre sem consideração ao tipo de infração cometida.

Arremesso lateral

• Será cobrado sempre que a bola atravessar inteiramente as linhas laterais quer pelo solo ou pelo alto.

• O retorno da bola à quadra de jogo dar-se-á com a movimentação da mesma com os pés no exato local onde saiu à bola, em qualquer direção, executado por um atleta adversário daquela equipe que tocou a bola por último.

• Se um atleta arremessar a bola contra a meta adversária e a bola penetrar na mesma, tocando ou não no goleiro, o tento não será válido.

Arremesso de meta
• A execução do arremesso de meta dar-se-á exclusivamente pelo goleiro, com o uso das mãos, de qualquer ponto da área de meta podendo ultrapassar a linha demarcatória do meio da quadra.

Arremesso de canto
• O arremesso de canto dar-se-á sempre que a bola ultrapassar inteiramente a linha de fundo, após ter sido jogada por um atleta da defesa. O arremesso de canto deverá ser executado sempre do canto mais próximo de onde saiu à bola pela linha do fundo

Funções dos árbitros no futsal

• Um árbitro principal – sua função é aplicar as regras de jogo do Futsal e decidir sobre qualquer divergência oriunda de sua prática.

• Um árbitro auxiliar – sua função é desempenhar os mesmos poderes do ártbitro principal, do lado da linha lateral oposta a do árbitro principal, respeitando a determinação da regra número 5 que consiste que em caso de apitarem simultaneamente uma infração e haver discordância prevalecerá a decisão do árbitro principal.
• Um cronometrista –  sua  maior função é controlar que o tempo de jogo tenha a duração estabelecida.

• Um   anotador – examinar a documentação de todos os envolvidos na partida, registrar na súmula toda infração que acontece durante o jogo.



EXERCÍCIOS 
01 – O futsal ou futebol de salão é um esporte muito popular no Brasil e em muitos outros países, principalmente sul-americanos. Assim como outras modalidades esportivas existem divergências sobre a sua origem. Explique como se deu a invenção desse esporte, explicando as duas versões existentes do seu surgimento.
02 – Qual o objetivo do jogo de futsal?
03 – Desenhe a quadra de jogo oficial com suas linhas e demarcações.
04 – Conceitue:
a) Passe
b) Chute
c) Condução de bola
d) Drible e finta
e) Condução de bola
f) Cabeceio
05 – Quais são as posições dos jogadores existentes no futsal? Explique cada uma.
06 – Por quantos jogadores é composta uma equipe de futsal? Qual o tempo oficial de jogo?
07 – Para que seja realizada uma partida oficial de futsal é necessária uma equipe de arbitragem, explique a função de cada árbitro.

3 Comentários

Tudo Sala de Aula agradece sua interação conosco!

Postar um comentário

Tudo Sala de Aula agradece sua interação conosco!