INTERPRETAÇÃO DE TEXTO - O DONO DA BOLA (4º ANO)

      O DONO DA BOLA

       Este é o Caloca. Ele é um amigo legal. Mas ele não foi sempre assim, não. Antigamente ele era o menino mais enjoado de toda a rua. E não se chamava Caloca. O nome dele era Carlos Alberto. E sabem por que ele era assim enjoado? Eu não tenho certeza, mas acho que é porque ele era o dono da bola. Mas me deixem contar a história, do começo. 
       Caloca morava na casa mais bonita da nossa rua. Os brinquedos que Caloca tinha, vocês não podem imaginar! Até um trem elétrico ele ganhou do avô. E tinha bicicleta, com farol e buzina, e tinha tenda de índio, carrinho de todos os tamanhos e uma bola de futebol, de verdade. Caloca só não tinha amigos. Porque ele brigava com todo mundo. Não deixava ninguém brincar com os brinquedos dele. Mas futebol ele tinha que jogar com a gente, porque não se pode jogar sozinho. 
        O nosso time estava cheio de amigos. O que nós não tínhamos era bola de futebol. Só bola de meia, mas não é a mesma coisa. Bom mesmo é bola de couro, como a do Caloca. Mas, toda vez que a gente ia jogar com Caloca, acontecia a mesma coisa. Era só o juiz marcar qualquer falta do Caloca que ele gritava logo: 
       ─ Assim eu não brinco mais! Dá aqui a bola! 
       E, assim, Carlos Alberto acabava com tudo que era jogo. A coisa começou a complicar mesmo, quando resolvemos entrar no campeonato do nosso bairro. A gente precisava treinar com bola de verdade para não estranhar na hora do jogo. Mas os treinos nunca chegavam ao fim. Carlos Alberto estava sempre procurando encrenca: 
       ─ Se Beto jogar de centroavante, eu não jogo! 
       ─ Se eu não for o capitão do time, vou embora! 
      ─ Se o treino for muito cedo, eu não trago a bola! 
      E quando não se fazia o que ele queria, já se sabe, levava a bola embora e adeus, treino. Toda vez que o Carlos Alberto fazia isso, ele acabava voltando e dando um jeito de entrar no time de novo. Mas, daquela vez, nós estávamos por aqui com ele. A primeira vez que ele veio ver os treinos, ninguém ligou. Aí, o Carlos Alberto resolveu jogar bola sozinho. A gente passava pela casa dele e via. Ele batia bola com a parede. Acho que a parede era o único amigo que ele tinha. Mas eu acho que ele já não estava gostando de estar sempre sozinho. 
      Na quarta, no meio do treino, lá veio ele com a bola debaixo do braço. 
      ─ Oi, turma, que tal jogar com uma bola de verdade? Nós estávamos loucos para jogar com a bola dele. Mas não podíamos dar o braço a torcer. 
      ─ Olha, Carlos Alberto, você apareça outra hora. Agora, nós precisamos treinar ─ disse Catapimba. 
      ─ Mas eu quero dar a bola ao time. De verdade! Nós todos estávamos espantados:
      ─ E você nunca mais pode levar embora?
      ─ E o que é que você quer em troca? 
      ─ Eu só quero jogar com vocês... 
      Os treinos recomeçaram, animadíssimos.  O final do campeonato estava chegando e nós precisávamos recuperar o tempo perdido. Carlos Alberto estava outro. Jogava direitinho e não criava caso com ninguém. E, quando nós ganhamos o campeonato, todo mundo se abraçou. 
Adaptado: Ruth rocha. Marcelo, marmelo, martelo e outras histórias. (Adaptado) São Paulo, Salamandra, 1999


1ª) Qual o título da história que você acabou de ler? ____________________________________________________________________

2ª) Como era o nome do personagem da história que tinha o apelido de Caloca? _____________________________________________________________________

3ª)  Retire do texto, o trecho que indica o brinquedo que Caloca ganhou do seu avô. _____________________________________________________________________

4ª) Por que Caloca não tinha amigos? _____________________________________________________________________

5ª) Você leu no texto “Mas futebol ele tinha que jogar com a gente, porque não se pode jogar sozinho.” Você concorda com que não se pode brincar de futebol sozinho? _____________________________________________________________________

6ª) Por que Carlos Alberto acabava com tudo que era jogo? _____________________________________________________________________

7ª) Converse com seus amigos para entender melhor o sentido das palavras no texto. 

a) No trecho “Antigamente ele era o menino mais enjoado de toda a rua.” Escreva o sentido da palavra enjoado. _____________________________________________________________________

 b) No trecho “O nosso time estava cheio de amigos. O que nós não tínhamos era bola de futebol. Só bola de meia, mas não é a mesma coisa.” Escreva o que os meninos quiseram dizer quando usaram a expressão destacada. ______________________________________________________________________

 c) No trecho “Toda vez que o Carlos Alberto fazia isso, ele acabava voltando e dando um jeito de entrar no time de novo. Mas, daquela vez, nós estávamos por aqui com ele.” Escreva o que os meninos quiseram dizer com a expressão destacada.

8ª) Complete a cruzadinha com o nome dos brinquedos que Caloca tinha.

4 Comentários

Tudo Sala de Aula agradece sua interação conosco!

Postar um comentário

Tudo Sala de Aula agradece sua interação conosco!